segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Devaneios

Oh tormento profanando o aconchego de meu quarto. Roubando de minha alma o sossego, levando para longe o sono. Pensamentos delirantes apetecendo idéias insanas. Temo que minhas alucinações tornem-se reais perante meus olhos. Mente.. não me deixe crer nessas abominações! Desperta e trêmula. Enigmas corrompendo uma noite.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Lancei Para Fora De Mim

Lancei para fora de mim o que não devia ficar, e tentei transformar em algo interessante: versos...

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Você Que Demonstra Não Me Notar

Você que demonstra não me notar – e realmente não nota. Nosso futuro é certo, acredita? Tão certo quanto o que eu disse outrora aconteceu, tão certo como se tornou fato. Haverá um fim, e como sempre, o rapaz sairá ileso.
Sofrimento antecipado? Fato previsto! Obviedades que somente eu sinto em meu coração - não muito conformado. E o interessante? Eu te quero bem aqui.

sábado, 5 de setembro de 2009

A Mente

Percebi hoje um homem, em especial. Trajava um casaco preto muito belo. Ele de certa forma, era belo. Fitei-o, curiosa, até que ele olhou para traz e para os lados, parecendo haver tido a sensação de estar sendo observado. Como em um lapso, passei a pensar no potencial que nós humanos temos. Por exemplo, eu sinto o que vai acontecer, e muitos de meus sonhos se concretizam.
Creio que seja uma questão de querer perceber o exterior, querer abrir o coração para isso, e de que forma? Abrindo a mente!
Enquanto uns observam a vida, os acontecimentos, as consequências e as hipóteses, outros apenas vivem e não aprendem – a não ser com os erros -, não obtém nada que lhes sirva para pensar.
E é aí que vem a idéia de que evoluímos (segundo a ciência). Eu, porém, acredito que ser intuitivo – entre tantos outros nomes - é normal, muitos é que regridem.

Ocorreu um erro neste gadget