quinta-feira, 28 de maio de 2009

Hoje Insano

A minha insanidade não pode ser contida
Tampouco deve ser.
Contesto que antes que o galo cante
O meu pecado se revelará
E te machucará..
Antes que o sol nasça
Tu me verás diante de teus olhos
Uma simples imagem falsa.
Teus desejos me serão satisfação
Porque por mim não serão satisfeitos
Não mais..

A minha culpa negaceada.

Não, não me pergunte por que,
Porque não há porquês!

Vê-me sóbria e despida de minha sagacidade?
Foi-se a época em que lamuriei,
Eu somente sonho, e hoje não me importo
Com nada e ninguém.

Hoje sou eu quem vive em minhas memórias
Hoje mais ninguém existe em minha consciência..
Hoje meus sonhos são para mim e por mim,
Ninguém com quem me preocupar.
Antes que outro dia chegue...
Você vai sentir falta e se lembrar..

De mim. 

domingo, 24 de maio de 2009

Consciência

Ainda relembro as manhãs mornas e os poucos verões alegres de meu passado - enterrado. Memórias, me atormentando. Eu vi nascer o dia em que me tornei consciente, esse dia não me traz boas lembranças. Hoje conhecemos o amor muito cedo, ferimos nossos corações. Oh Deus, quero esquecer as minhas vontades! Quero apenas não me importar com a minha solidão. Tempo faça-me voltar à inocência, desejo ser como uma criança. Eu nunca fui criança, afinal. A consciência procurou-me cedo demais.

domingo, 17 de maio de 2009

12 Metros Quadrados

12 metros quadrados,
Aprisionaram-me. 

A poesia está morta.

O ar é denso e corrói minha garganta,
As palavras não ditas ainda mais. 

Não querem me deixar morrer,
Eles querem me matar. 

Aos poucos vou-me livrando
Do que de bom restaria em mim..

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Solidão

Feridas que sangram conforme a música.
O silencio nunca é o bastante.
Solidão nasce, atormenta,
Morte chega e alimenta.
Simples vida insulta a liberdade,
Inexistente corrompe um coração.
Prisão, onde o amor não pode ser sentido,
É a realidade demonstrando solidão.

sábado, 9 de maio de 2009

Raiva

De olhos abertos imagino tudo explodindo. Ouço minha mente gritando.
Raiva. Raiva. Raiva. É só nisso que consigo pensar. Fecho os olhos e minha alma parece ser alguém, tão perto e real. Começo a imaginar atrocidades.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Leva-me Contigo

Sublime é a culpa,
De quem vive, vida tua.
Sonhos entorpecentes,
Olhos nus.
Inquieta escondi,
E percebi que só a mim me enganei.
Por te amar, te esperei.
Sonhando alto,
E sabendo que só estavas em minha cabeça.
Sonhos alvos, realeza,
Virtudes de sutil amor.

Rouba-me de meu mundo,
E convida-me para contigo viver um sonho.
Querendo-te mais que mais
Sem saber por que, sofrer
Se amar é tão bonito
Leva-me, leva-me contigo.

Ocorreu um erro neste gadget