quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

A Alma de um Corpo

Talvez não mais me importe o quanto exigirão de mim, por melhor que esteja nunca é o bastante. Contudo ainda gosto de contemplar meu corpo juvenil perante o espelho, apesar de nem sempre eu gostar do que vejo amo ser assim e não me machuca o fato de dizerem o quanto sou magra ou que sou assim porque quero. há quem menospreze uma garota por esta não ter tantas curvas "essenciais" para a satisfação de um homem, porém, algum destes homens vê além? Aprendi a apreciar com olhos de alma e não somente com olhos de carne, aprendi que os homens vêem apenas seu próprio prazer em nós mulheres, garotas, genitoras. Entendi que meu prazer será vastamente completo mesmo se só um homem me apreciar com olhos de alma, afinal, sinto-me como um ratinho lançado a mil cobras famintas, tantas vezes sinto ser um corpo sem cérebro a qual teria mais serventia vulgarizando-se que aqui clamando por respeito. Mas basta que um me aprecie da forma mais bela para que eu crie coragem de enfrentar..

Um comentário:

  1. Belíssimo e profundo texto, cheio de sutil e inteligente indignação. Tens razão, quem é que hoje em dia aprecia com olhos de alma? Esta tua frases diz muito: "Talvez não mais me importe o quanto exigirão de mim, por melhor que esteja nunca é o bastante." É, a vida é assim com a gente. Mas com toda certeza, há muito para apreciar em uma pessoa como tu...

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget