quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Verdades Incompreendidas

Na verdade nem sempre as verdades me fazem feliz, não as que digo. Absolutamente insegura me refugio em meu medo de não ser compreendida, pois nunca sou. Digo 'nunca' sem dúvida do seu significado. Há pouco assisti a uma cena de suicídio e admito me sentir confortável com a idéia. Como viver se as pessoas que amo ao menos tentam me entender? Desde o princípio este sempre foi o problema, talvez o único. Oh geração antiquada, por que é difícil aceitar as mudanças? E ainda cobram compreensão de nossa parte! Quanta ironia. Sou adolescente, normalmente rebelde e apaixonada, cheia de idéias e pensamentos que me acompanham fazendo-me lembrar que ainda há um futuro para eu viver. Ainda há! Ainda há! Um futuro liberto..

Um comentário:

  1. Sinto neste texto uma profunda revolta, uma amargura, uma solidão. Está vivo, intenso de sentimentos conflitantes.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget