quarta-feira, 13 de maio de 2009

Solidão

Feridas que sangram conforme a música.
O silencio nunca é o bastante.
Solidão nasce, atormenta,
Morte chega e alimenta.
Simples vida insulta a liberdade,
Inexistente corrompe um coração.
Prisão, onde o amor não pode ser sentido,
É a realidade demonstrando solidão.

3 comentários:

  1. Um poema com a tua marca: intenso, paradoxal, com um inteligente uso das palavras.

    ResponderExcluir
  2. Lindooo!! Adorei a primeira frase "feridas que sangram conforme a música". É muito sugestiva!

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  3. fuga de rimas, acho perfeito seu blog, vc escreve muito bem parabens

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget